Abelhudice

Yakov Dzhugashvili, filho de Stalin, capturado pelos alemães, 1941

This section contains some shortcodes that requries the Jannah Extinsions Plugin. You can install it from the Theme settings menu > Install Plugins.

YSakov Dzhugashvili, filho mais velho de Stalin, serviu no Exército Vermelho durante a Segunda Guerra. Foi capturado ou se rendeu no início da invasão alemã da União Soviética. Ainda há muitas informações contraditórias a respeito da morte de Dzhugasshvili, visto que existem informações desencontradas sobre todos os fatos de sua vida.

Yakov nasceu em 1907, fruto do casamento de Stalin com sua primeira esposa, Ekaterina Svanidze. Sua mãe morreu alguns meses depois de seu nascimento, então Yakov foi criado pelo seu tido materno, que lhe pediu para cursar um ensino superior. Ele foi para Moscou, aprendeu a falar russo (sua língua nativa era o georgiano) e eventualmente se formou em uma academia militar. Yakov e seu pai nunca se deram bem. Supostamente, Stalin se referia a seu filho como “mero sapateiro”. O relacionamento deles se rompeu em 1925, quando Yakov começou a viver com Zoya Gunina, filha de um sacerdote ortodoxo. O então indignado Stalin, no entanto, se recusou a aceitar o relacionamento do seu filho com a jovem Zoya, que tinha sido colega de sala de Yakov nos tempos de escola. Como resultado dos conflitos com seu pai, o jovem profundamente magoado tentou o suicídio atirando em si mesmo. A bala atravessou seu pulmão, mas não atingiu seu coração. Isso levou o ditador a fazer uma observação sarcástica a respeito da tentativa de suicídio de seu filho: “Você consegue sequer atirar direito”.

Dzhugashvili foi capturado em 16 de julho de 1941 durante a Batalha de Smolensk. Não há informações concretas se Yakov foi capturado ou se rendeu. Em fevereiro de 2013, a revista alemã Der Spiegel, em uma de suas capas, indicava que Yakov tinha se rendido perante as forças inimigas. Uma carta escrita pelo comissário da brigada de Dzhugashvili para o diretor político do Exército Vermelho, citada pela Spiegel, afirma que, após a bateria de Dzhugasvili ter sido bombardeada pelos alemães, ele e outro soldado tinham vestido roupas de civis e fugido, mas em seguida, em algum momento, Dzhugashvili ficou para trás, dizendo que queriam ficar e descansar.




Outras fontes dizem que a retirada de Yakov Dzhugashvili foi informada aos alemães pelos Muzhiks russos, que odiavam o sistema Kolkhoz e o poder soviético em geral. Nas primeiras horas após sua captura, o jovem em pânico se livrou das insígnias de oficial e tentou se esconder entre a massa de prisioneiros de guerra.  Infelizmente para ele, um dos seus antigos companheiros havia o reconhecido e o entregou imediatamente. Logo depois, o oficial de barba por fazer, foi interrogado pelo Abwehr que tinham os especialistas mais treinados em falar russo. Todas suas palavras ditas durante o interrogatório foram cuidadosamente documentadas, embora apenas uma parte desses documentos tornaram-se públicos. De todo modo, a partir dos primeiros registros do interrogatório, podemos concluir que Yakov Dzhugashvili não se humilhara diante dos alemães.

O filho mais velho de Stalin
O filho mais velho de Stalin

Após algum tempo, no entanto, Yakov se via encurralado e, inevitavelmente, tornou-se mais aberto aos interrogatórios. Ele tinha uma opinião muito ruim a respeito de sua divisão e até mesmo sobre outras unidades do Exército Vermelho que, segundo ele, era insuficientemente preparado para a guerra. Yakov disse aos alemães que os Comandantes Vermelhos haviam se comportado de modo inadequado tanto em período de paz quanto em combate. Ele acrescentou que os camponeses ricos, os Kulaks, que anteriormente tinham sido “os protetores do czarismo e da burguesia”, acabaram dominando o sistema soviético. Ao responder perguntas sobre sua família, descobriu-se apenas quanto seus laços com seu pai eram soltos. Ele revelou o ano da morte de sua madrasta, Nadezhda Alliuieva, assinada em 1934, em vez de 1932 como se imaginava, mas nem ele mesmo poderia dizer exatamente quanto anos seu irmão Vasily tinha.

O tolo
O idiota – não conseguia nem atirar em si mesmo!
1 2Próxima página

Postagens Relacionadas